Crivella brinca com a saúde do povo

Em mais uma prova que Marcelo Crivella (PRB) não governa para os trabalhadores carioca explode mais um escândalo em sua gestão. Na quarta-feira, 04 de julho, no Palácio da Cidade, sede da prefeitura, Crivella promove uma reunião secreta com pastores e líderes de igrejas. Na pauta havia o pedido de votos para o pré-candidato a deputado federal pelo PRB, Rubens Teixeira e a oferta de facilidades para os presentes e seus fiéis. Entre os auxílios, estão cirurgias de cataratas e varizes para fiéis e a assistência a pastores que tivessem problemas de IPTU em seus templos. A notícia do encontro reservado foi divulgada pelo jornal “O Globo”.

A notícia e o vídeo feito durante a reunião causaram uma legítima indignação entre os trabalhadores. A dura realidade mostra um prefeito que despreza a maioria da população carioca.

De janeiro deste ano até abril, cerca de 15 mil pessoas estavam aguardando na fila para cirurgia de catarata, sendo que a espera pode chegar até 2 anos. Além disso, a saúde do Rio de Janeiro enfrenta um processo crescente de privatização. A prefeitura foi entregando a gestão das unidades de saúde para as chamadas Organizações Sociais (OS’s). Estas entidades privadas gerem recursos públicos sem nenhum tipo de controle por órgãos de fiscalização, já tendo sido comprovados diversos casos de corrupção.

Porém para garantir uma saúde municipal que atenda os interesses dos trabalhadores e do povo é necessário organizar a luta. Organizar uma mobilização que derrote a lógica da gestão neoliberal. Isso é possível a partir de desmistificação de um prefeito que mostra ser corrupto e governar para a satisfação de seus interesses. Também deixa claro que cuida de atender os interesses das multinacionais e banqueiros.

A saída é a luta e mobilização. Uma saída que parta da exigência de impeachment deposita confiança na Câmara Municipal e nos vereadores que, em sua maioria, são cúmplices de Crivella.

Convocamos todas as centrais sindicais, sindicatos, associações e partidos que afirmam representar os interesses dos trabalhadores e do povo a construir a mobilização necessária para derrubar o governo Crivella, colocar um fim no pagamento da dívida e garantir um SUS de qualidade para todos. Só com muita luta e possível garantir mais verbas para a saúde. Nossa ação conjunta pode impor que a prefeitura pare de pagar a dívida pública, que só beneficia os grandes bancos. Podemos impor o fim da Lei de Responsabilidade Fiscal. Essa lei não serve aos interesses dos trabalhadores. Apenas a mobilização independente dos trabalhadores, sem a presença ou influência dos patrões, pode garantir isso.

  • Fora Crivella e todo o seu governo!

  • Romper com o pagamento da dívida pública e com a Lei de Responsabilidade Fiscal!

  • Pelo Fim das Organizações Sociais. SUS 100% público com suas unidades geridas por conselhos de trabalhadores e usuários!

Anúncios