Entidades salvadorenhas condenam ataques de Temer e repressão contra manifestantes

Na última segunda-feira (5), a Coordenação Sindical Salvadorenha (CSS), junto a Unidade Socialista dos Trabalhadores (UST), realizou ato público, em frente ao prédio da Embaixada Brasileira, condenando as “agressões do governo Temer contra manifestantes e a classe trabalhadora do Brasil”.

A representante da entidade sindical, Eva Argueta, declarou durante o protesto de apoio que a última manifestação em Brasília revelou graves violações de direitos humanos e que o objetivo da solidariedade pública era de “repudiar a forte repressão do governo contra jovens, mulheres e a classe trabalhadora”.

Para os camaradas salvadorenhos, os abusos de Temer se dão em situação de total incoerência, uma vez que o governo está envolvido em grandes esquemas de corrupção. “Apoiamos as ações combativas da classe trabalhadora e da juventude brasileira e seguiremos nos posicionando publicamente para que não prossigam violando seus direitos”, defendeu a dirigente.

O conjunto de sindicados de El Salvador também rechaçam os ataques contra os trabalhadores com as reformas trabalhista e da Previdência, a Lei da Terceirização e o aprofundamento da precarização do trabalho que a lei implica, assim como criticam a corrupção do governo e do Congresso Nacional em cumplicidade com empresas nacionais e multinacionais. Leia matéria original na íntegra…

Anúncios