TODO APOIO ÀS MERENDEIRAS DA E. M. CEARÁ

GOVERNO CRIVELLA RETALIA LUTADORAS!

As merendeiras da E. M. Ceará, localizada em Inhaúma, estão sofrendo retaliação da chefia da  3º  CRE,  porque todas têm cruzado os braços nas recentes paralisações deliberadas nas assembleias do SEPE. Essas trabalhadoras reclamam das péssimas condições de trabalho e da falta de profissionais, visto que são 4 merendeiras para preparar as refeições de cerca de 630 alunos.

Segundo elas, impossível realizar todos as tarefas, pois são:  300 cafés da manhã; 550 almoços; 200 lanches à tarde; totalizando 1050 refeições. Além da falta de iluminação, a cozinha não possuiu os equipamentos básicos: descascador de tubérculos, multiprocessador, panelas de pressão. Um fogão de seis bocas para colocar 13 panelas. Limpam o refeitório 3 vezes por dia. A rotina é exaustiva, desumana, o que leva as trabalhadoras ao absurdo de comprarem copos descartáveis, porque não aguentam ficar em pé lavando todas as canecas e o restante da louça.

Além dos acidentes de trabalho a que são expostas essas trabalhadoras, como queimaduras, cortes e lesões, muitas doenças ocupacionais são derivadas do excesso de movimentos repetitivos, permanência em pé por muito tempo, dimensões e configurações do ambiente físico, facas mal afiadas, equipamentos inadequados, má organização ou levantamento excessivo de peso. Elas já estão doentes e evitam ir ao médico e tirar licença para não sobrecarregar as demais colegas. Estão expostas ao calor e não tem uniforme nem calçado para evitar escorregões, devido ao piso constantemente molhado por causa de uma geladeira que vaza. Sem contar que a função que desempenham, há muito tempo deixou de ser, apenas, o preparo de merendas. Seu trabalho é de cozinheiras, mas não recebem por isso, nem adicional de periculosidade ou insalubridade.

Essas trabalhadoras encontram-se hoje, em estado de greve. Em resposta a sua mobilização, a chefia da 3ª CRE ameaça transferir uma delas para outra unidade escolar, medida que aumentará, ainda mais, a precarização das condições de trabalho.

Esse é mais um exemplo de como o prefeito Crivella tem “cuidado”  das trabalhadoras da educação e, consequentemente, da população da cidade do Rio de Janeiro, muito diferente das promessas de campanha. Todo esse descaso atingirá essa comunidade do Complexo do Alemão, visto que são essas profissionais que prestam serviço às alunas e alunos diretamente.

  • TODO APOIO ÀS MERENDEIRAS DA E.M. CEARÁ!
  • PELA REDUÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO!
  • CONCURSO PÚBLICO JÁ!
  • PELA MANUTENÇÃO IMEDIATA DOS EQUIPAMENTOS!
  • CONTRA O ASSÉDIO MORAL DA 3ª CRE A ESSAS TRABALHADORAS!
  • PELA MUDANÇA DO CARGO DE MERENDEIRA PARA COZINHEIRA!
  • PELO PAGAMENTO DE ADICIONAL DE PERICULOSIDADE E INSALUBRIDADE!
  • FORA, CRIVELLA!
Anúncios