30 de junho: Greve Geral contra a Reforma Trabalhista, da Previdência, as Terceirizações e pelo Fora Temer e o Fora Congresso corrupto

Mais uma vez vamos parar o Brasil. Agora será dia 30 de junho. Essa foi à decisão da reunião com todas as centrais que ocorreu no dia 23, em São Paulo. Esta decisão é uma vitória das entidades, dirigentes e ativistas que se reuniram em assembleias, plenárias e outros fóruns para exigir das centrais a manutenção da data da greve geral. Estes fóruns, que elaboraram essa exigência às centrais, votaram manifestos, moções e cartas.

Aqui no Rio de Janeiro, mais de meia centena de entidades, representadas por mais de cem dirigentes e ativistas, participaram de uma Plenária em Defesa da Greve Geral, convocada pelo SEPE-RJ. Esta Plenária elaborou um Manifesto que foi entregue na reunião das centrais no Rio e em São Paulo.

Esta ação foi fundamental porque o governo de Michel Temer, mesmo envolvido em escândalo de corrupção e indiciado em inquérito judicial que tramita no STF, não para de atacar os direitos dos trabalhadores e do povo. Agora pretende, além de atacar os direitos trabalhistas e aposentadoria, colocar suas mãos no Fundo de Garantia. Por isso é que a classe operária, as trabalhadoras, os trabalhadores e os estudantes devem organizar a greve geral.

No próximo 30 de junho vamos ocupar as ruas, parar a produção, parar a circulação de mercadorias pelo fora Michel Temer e todos os corruptos e corruptores. Uma poderosa greve geral para derrotar o governo, o congresso, a reforma trabalhista, da previdência e revogar a lei das terceirizações.

A Plenária no Rio pressionou às centrais para a construção de um ato unitário. Não um ato show eleitoreiro que só trás divisão, mas uma ação coletiva que fortaleça todas as nossas ações desde as primeiras horas deste dia.

Agora é preparar a greve

Neste momento a tarefa mais importante para todos é organizar a greve. Aquelas e aqueles que ainda não realizaram assembleias é hora de fazê-las. O conjunto da classe deve reorganizar os Comitês de Mobilização e Luta e fundar onde estes ainda não existam. Temos que ter organização nos locais de trabalho, de moradia e de estudo com comitês para todos os lados. Vamos organizar plenárias e panfletagens para mostrar a todas e todos que é possível superar os obstáculos e desafios e construir uma greve geral superior a do dia 28 de abril.

Nesta reta final faremos uma Plenária com as centrais, no auditório do Sindicato dos Comerciários do Rio (Rua André Cavalcante, 33, no Centro), no dia 26. No dia 27 faremos uma nova Plenária organizativa com as entidades e movimentos que assinaram o Manifesto em Defesa da Greve Geral, no auditório do SINDIPETRO-RJ (Av. Passos, 34, Centro).

A organização da classe trabalhadora para a greve do dia 28 de abril e, agora, para a greve geral de 30 de junho são os primeiros passos rumo à construção de uma alternativa de nossa classe para superar os graves problemas do nosso país. É possível acabar com a proposta de reforma trabalhista, defender a aposentadoria, a seguridade social, a saúde, a educação, o emprego, a moradia e a segurança. É possível colocar para fora Temer e todos os corruptos.

Anúncios