Quadrilha: Pezão é quarto governador do Rio de Janeiro preso por corrupção


Enquanto o Rio de Janeiro vive há anos um verdadeiro caos social, os governantes do estado, um após outro, vivem alheios ao drama da população e seguem saqueando os cofres públicos em esquema de corrupção. Segundo as tradições da família Amaral Peixoto, passando por Moreira Franco, Brizola e Marcelo Alencar os governantes do Rio, cada um, deixou sua marca de autoritarismo, ineficiência e corrupção. Já foram para a prisão Anthony Garotinho, Rosinha Matheus e Sérgio Cabral. Nesta quinta-feira (29), foi a vez do governador Luiz Fernando Pezão (MDB) ser preso em operação da PF (Polícia Federal). Leia mais…

Anúncios

Temer e Bolsonaro vão tentar novamente fazer uma reforma da previdência para acabar com a aposentadoria


Passadas as eleições, o governo Temer, o Congresso e até mesmo o presidente eleito Jair Bolsonaro estão falando em fazer urgentemente a Reforma da Previdência. O discurso é o mesmo de sempre: “que a Previdência está quebrada”, de que “é preciso equilibrar as contas públicas”, que “se não houver reforma a Previdência quebra”. São falsos argumentos para enganar a população e impor uma reforma que, na prática, só penaliza os trabalhadores. Enquanto isso, eles mantêm seus privilégios, como as isenções às empresas e aumento nos salários como o que foi dado aos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal). Para isso, eles têm dinheiro.
Leia mais…

No dia da Consciência Negra vamos organizar a luta em defesa da aposentadoria e dos direitos dos trabalhadores


A morte de Zumbi, de Dandara e de milhões de negros deixaram um legado de luta, de auto-organização e autodefesa. Devemos utilizar tal legado para defender o direito à aposentadoria, ao pleno emprego, melhores salários, a manutenção e a ampliação dos direitos da classe operária brasileira.
Leia mais…

Trinta anos de impunidade no massacre de Volta Redonda


A ação criminosa do glorioso exército brasileiro deixou um rastro de sangue em cada uma das estações de trabalho ao assassinar: Carlos Augusto Barroso (19 anos), Walmir Freitas Monteiro (27 anos) e William Fernandes Leite (22 anos). Barroso morreu de traumatismo craniano como resultado de uma coronhada que levou quando já estava caído no chão. Já Walmir foi atingido covardemente pelas costas, à tarde, num dos locais de concentração dos trabalhadores. William foi baleado no pescoço, à noite, na estação de resfriamento de água. Além dos mortos, cerca de cem feridos completou o saldo da operação militar contra a cidade e os grevistas.
Leia mais…

Justiça eleitoral se coloca a serviço do arbitrarismo e autoritarismo


A justiça eleitoral se coloca a serviço da parcela do capital financeiro que se sentiu mais atraída pela candidatura do Capitão Reformado Jair Bolsonaro. São os investidores com os ativos mais voláteis. São os jogadores do “capitalismo-cassino”. Não lhes importa a instabilidade representada pelo presidenciável: só o que conta é o lucro rápido, imediato, o lucro de quem pode saltar de um país em crise a outro com seu dinheiro com extrema agilidade – sendo que isso se dá a partir de investidores individuais também, mas principalmente a partir de fundos concentrados e sediados nas nações imperialistas. leia mais…

Coação: MPT divulga empresas que assediaram trabalhadores para votar em seus candidatos


Segundo dados da Procuradoria Geral do Trabalho, nas eleições deste ano, foram registradas 199 denúncias em 14 estados do país relacionadas à coação eleitoral, prática em que donos de empresas ou superiores assediam e ameaçam trabalhadores para tentar direcionar o voto em determinados candidatos.

Reportagem da Agência Pública, com base em denúncias tornadas públicas pelo Ministério Público do Trabalho, de um total de 60 empresas denunciadas pelo país, em 57 foi possível identificar a motivação eleitoral: 28 foram a favor de Bolsonaro e apenas uma foi contra o candidato. Nos demais casos, 25 ainda estão sob sigilo ou não há conclusão de quem se beneficiou da prática e outros três casos foram a favor de parlamentares.

Ainda de acordo com a reportagem, há casos de comunicados e camisetas idênticos distribuídos em empresas diferentes, o que indica uma articulação conjunta entre os empresários. Leia mais…

20 de outubro: todas e todos às ruas para dizer #EleNão e Ditadura Nunca Mais


Aqui no Rio o Ato está convocado a partir das 13 horas, na Cinelândia. Mas há convocação para mais cinco cidades no interior.
Participe dessa mobilização. Para derrotar, de fato, o autoritarismo de Jair Bolsonaro, e também derrotar os ataques aos nossos direitos e organizações, é a mobilização unificada da classe trabalhadora e do movimento popular. Nós, que construímos toda a riqueza que existe, podemos parar o país, mostrar a nossa força e vencer.
É necessário construir a unidade para lutar. Construir a Frente Única para defender a aposentadoria, impedir que retirem nossos direitos, exigir empregos. Assim como a Frente única é necessária para derrotar, nas ruas, o autoritarismo de Bolsonaro e seus seguidores, e da cúpula militar que o apoia. Vamos preparar já as condições para uma nova Greve Geral. Leia mais….